29 de nov de 2015

Sessão Yaoi (Séries)

(Atenção: esse post não é para menores de 18 anos!)
(Nota: esse aviso não serve de nada, é só uma questão burocrática)















25 de nov de 2015

Pensamento do dia

O que precisamos para sermos felizes nos dias de hoje?

Namorar e casar? Ter uma prole, montar a família dos sonhos?
Ter sucesso no emprego, ganhar um alto salário?
Fazer fama de alguma forma, ser uma celebridade ou uma figura reconhecida no país ou no mundo?
Comprar tudo que quiser? A casa que queremos, as coisas, as roupas etc?
Viajar para muitos lugares?
Realizar todas as suas fantasias e objetivos de vida, sem se importar com o amanhã?
Talvez viver todos os momentos de maneira intensa?

A verdade é que atualmente é difícil sentirmos satisfação plena pelas coisas. O mundo parece não estar mais conseguindo agradar a maioria das pessoas. Os itens citados acima podem satisfazer ou não. E mesmo assim, vale lembrar que satisfação não é sinônimo de felicidade.

Nessa era moderna do século XXI, o conceito de felicidade parece estar se tornando mais uma utopia do que uma possibilidade. Mas de onde vem a felicidade? Ela é um caminho ou é a recompensa de um caminho?

Todxs queremos a felicidade, sim. A questão é como consegui-la. Talvez o primeiro passo que deveríamos dar é entender o que é a felicidade.

Ela é universal ou individual? Existe "a felicidade" ou cada pessoa tem a sua?
A resposta mais provável é que ela seja individual, pois nem tudo que me deixa feliz deixa as demais pessoas felizes.

E agora vem o desafio: como conseguir a minha felicidade?

A nossa felicidade depende das outras pessoas, dos bens-materiais, das conquistas na vida social, financeira e pessoal?
É tudo relativo, a resposta varia de pessoa para pessoa.

Por que procuramos amizades e relacionamentos? Por que compramos tudo que nos agrada? Por que queremos mais do que temos? Tudo isso não são formas de atingir uma felicidade? Podem ser. A questão maior é se o que estamos fazendo no momento é realmente necessário.

O abismo atual que enfrentamos é cair no egoísmo e na futilidade tentando desesperadamente encontrar alguma felicidade, mesmo que seja passando por cima de outras pessoas, usando de desonestidades, ou enganando a nós mesmxs.

Talvez não haja uma fórmula 100% precisa para a felicidade de cada pessoa.
Porém, de uma coisa podemos ter certeza: nós temos que busca-la por nós e através de nós. 
Não podemos entregar nossa felicidade para as pessoas ou a matéria. 
Afinal, pessoas erram e a matéria perde o valor.



21 de nov de 2015

Dia da Consciência Negra

O que representa essa data no calendário?

Simbolicamente representa a luta contra o racismo, contra a exclusão da população negra na sociedade. Essa data surgiu em homenagem a Zumbi dos Palmares, um negro que foi escravizado e se tornou o líder do Quilombo dos Palmares. O Quilombo era uma resistência composta por escravos fugitivos da época. Séculos após a morte de Zumbi, o Dia da Consciência Negra foi criado como uma reflexão sobre a influência histórica da cultura africana e do povo africano no Brasil.

(Zumbi dos Palmares)

É impossível desconsiderar a vasta influência africana trazida para o Brasil. Além da economia do país ter crescido ao longo da História à custa de milhares de vidas, temos também as religiões e crenças africanas, como a Umbanda e o Candomblé. Essa influência está mais presente no Nordeste brasileiro, como na Bahia ou em Pernambuco.

O povo africano sofreu. Sim, sofreu muito. Mas deixou sementes aqui, que só floresceram após muitos anos de luta e resistência por parte de seus descendentes, que atualmente compõem mais da metade do país.

Há quem diga que o racismo no Brasil acabou. E dizem isso só porque pessoas negras não são mais escravizadas, tratadas como produto e trazidas em navios negreiros. Sinto lhe informar: a escravidão não acabou. Só não tem mais grilhões e chicotes, mas ainda está aí. Só não a enxerga quem não quer.

E mesmo tendo apoio de pessoas brancas, a população negra ainda sofre a opressão de todo um sistema que beneficia mais as pessoas brancas. Não importa se você, brancx, não comete o racismo; o preconceito ainda está presente, está no sistema.

Pessoas negras ainda não conseguem os mesmos empregos que pessoas brancas, ainda não têm as mesmas oportunidades. Essa parcela da população ainda é muito marginalizada. Quantas pessoas negras vemos numa escola ou numa faculdade particular? Quantas vemos em profissões de destaque, como medicina ou engenharia? Quantas estão no Poder Judiciário ou na política?

O Dia da Consciência Negra era um feriado nacional até 2011, quando foi sancionada uma lei que tornava facultativo ser feriado no dia. Na maioria dos municípios dos Estados ainda é feriado. Mas, infelizmente, nem todas as pessoas estarão de folga nesse dia, como os lixeiros, cuja maioria é composta por pessoas negras...

Não apenas nesse dia devemos lembrar do racismo e do sistema que beneficia mais as pessoas brancas, devemos lembrar todos os dias. E não apenas lembrar, mas fazermos nossa parte. 

O movimento negro lutará por seus direitos. 
E as pessoas brancas devem apoiar e questionar o sistema.

A classe oprimida deve lutar. E a classe opressora deve apoiar. 
Só assim criaremos uma sociedade realmente igualitária para todxs.



18 de nov de 2015

Série: Under The Dome

("Invisible, indestructible and completely inescapable")

Demorei um tempo para ver essa série. Não ouvi falar nela e soube de seu pouco sucesso. Mas decidi dar uma chance. Ela é baseada num livro de Stephen King, que lhe deu uma boa avaliação.

A trama da série ocorre numa pequena cidade chamada Chester's Mill. Em um dia comum na pacata cidade, uma redoma invisível surge, isolando a cidade do resto do mundo. A redoma é feita de alguma energia misteriosa e é impossível sair por ela. A história envolve vários personagens, como Dale (conhecido como "Barbie"), que estava passando pela cidade para tratar de um negócio obscuro; a repórter Julia; o prefeito da cidade, Big Jim, e seu filho, Junior; entre outras pessoas. Cada personagem acaba tendo um papel dentro da redoma. O maior desafio dentro da redoma é a população, que acaba entrando num caos progressivo. Porém, todos os mistérios envolvendo a cidade e a redoma acabam tornado-se o foco com o tempo.

O maior ponto da série talvez seja as relações humanas e a que nível o ser humano pode chegar quando colocado em condições que ameaçam sua vida. O medo da possível escassez de comida e suprimentos e o egoísmo das pessoas motivado por rancor ou arrogância acabam despertando o pior da população, que convivia em harmonia antes da redoma. Alguns personagens acabam mudando seus papéis de acordo com as situações e com o progresso da trama; por exemplo, Junior começa como um antagonista, mas tem seus momentos protagonísticos ao longo das temporadas.

A evolução da trama acaba mudando a perspectiva de quem está assistindo e dos próprios personagens; a redoma, que antes era tratada como uma entidade sobrenatural, acaba se tornando apenas parte de um plano maior, além do que todos conseguiam imaginar. A primeira temporada foca mais na humanidade do que na paranormalidade. A segunda temporada apresenta muitas respostas e mostra a conspiração de uma empresa interessada na redoma. E a última temporada, o clímax de tudo, é a resolução final, com muita tensão e reviravoltas.

Acredito que os atrativos da série sejam justamente os mistérios, as reviravoltas e como os personagens aprendem a lidar com as situações. Infelizmente a série não teve tanto sucesso e acabou sendo cancelada. Assim sendo, as respostas dos mistérios são dadas rapidamente na terceira temporada e a história termina incompleta, com um gancho para uma continuação (que não acontecerá).

Ainda assim, a série é bem construída e tem bons efeitos especiais. Talvez o final não seja um dos melhores, mas a história consegue despertar interesse. É uma boa opção para quem aprecia mistério e drama que envolva sobrevivência.



14 de nov de 2015

Espadas famosas de animes/mangás

Um tipo de arma que sempre me atraiu foi a espada (sem malícia XD). A espada é um ícone de história de fantasia, seja antiga ou até mesmo moderna. E mesmo nos dias atuais, animes e mangás costumam apresentar essa arma em combates, ou mesmo como um item para proteger e fazer o bem. Não apenas fantasia, mas gêneros de ação e ficção também adoram mostrá-la. 

Segue uma lista com algumas espadas populares de obras orientais:



  • Dragon Ball Z

A Espada Z aparece na saga Majin Buu. Ela é uma espada antiga e extremamente pesada. Há milhares de anos, o Deus da Destruição, Beerus, selou o velho Supremo Senhor Kaioh dentro da espada. Gohan conseguiu acessar o poder lendário da espada. Quando o novo Supremo Senhor Kaioh materializa um cubo feito do material mais denso do Universo, Goku o lança em Gohan para testar o poder de sua nova arma. Porém a espada se quebra, libertando o velho Kaioh.

(Gohan com a Espada Z)


  • Rurouni Kenshin 

A Sakabatō (lit: Espada de Lâmina Reversa) é uma espada feita (como o nome diz) com a lâmina ao contrário, o que significa que ela não é feita para matar. No mangá, há dois modelos existentes, e o protagonista, Kenshin Himura, acaba ficando com ambas. Kenshin a usa justamente para nunca mais ter que matar ninguém, para se redimir de sua vida como retalhador.

(Sakabatō)


  • Yu Yu Hakusho 

A Rei Ken (lit: Espada Espiritual) é a técnica característica de Kuwabara Kazuma. Ela é feita de energia espiritual e é uma arma versátil em combate, seja para ataque ou defesa. Quanto mais energia Kuwabara deposita na técnica, mais afiada e resistente a espada fica. Com o tempo Kuwabara cria variações da técnica (como espada dupla ou projéteis) e consegue alcançar um nível maior, a Jigen Tō (lit: Espada da Dimensão), que é menos prática do que a Rei Ken, mas pode cortar qualquer coisa.

(Rei Ken)


  • Inuyasha 

Tessaiga e Tenseiga são espadas irmãs criadas e dadas a, respectivamente, Inuyasha e Sesshōmaru. A Tessaiga tem poder destrutivo, sendo capaz de matar 100 demônios com um ataque e tendo a habilidade de absorver poderes. E a Tenseiga tem poder de cura e de reviver gente morta. Conforme a história progride, a Tessaiga recebe novos poderes que a fazem mudar de aspecto, como por exemplo o poder de quebrar barreiras mágicas fortes, que a torna vermelha.

(Tessaiga)

(Tenseiga)


  • One Piece 

O personagem Zoro Roronoa é conhecido por ser um poderoso espadachim que utiliza três espadas simultaneamente em combate. Zoro obteve muitas espadas com o tempo, mas seu estilo de luta sempre utiliza três: duas em cada mão e uma segurada na boca.

(Espadas atuais de Zoro)


  • Bleach 

A Zanpakutō (lit: Espada Cortadora de Alma) é a arma principal utilizada pelas classes Shinigami, Arrancar e Visored. Elas podem mandar espíritos para outras dimensões e também purificar os pecados de Hollows. Essa arma tem dezenas de tipos e classificações, e pode mudar de acordo com o nível de poder de quem a usa.

(A zanpakutō de Ichigo)


  • Naruto 

A Espada Kusanagi é usada por Orochimaru. Ela pode cortar quase qualquer material existente, se estender, e ser manipulada telepaticamente. Orochimaru costuma invocá-la de dentro de uma cobra que sai de sua boca. Sasuke Uchiha usa uma espada que ele chama de Espada Kusanagi, porém ela não tem os mesmos poderes da espada de Orochimaru.

(Kusanagi no anime e no mangá)

(Kusanagi de Sasuke)

A Espada de Totsuka é uma arma mística e uma variação da Espada Kusanagi. Orochimaru a procurou sem sucesso por toda sua vida. A espada atualmente pertence ao Susanoo de Itachi Uchiha, que a invoca por uma espécie de cabaça. Ao invés de matar, a espada sela seu alvo dentro da cabaça. A lenda diz que a pessoa é selada pela eternidade num mundo ilusório de sonhos.

(Espada de Totsuka selando Nagato)


  • Sword Art Online

As espadas duplas Elucidator e Dark Repulser são usadas pelo protagonista Kirito e são as armas características do personagem. Elucidator foi a primeira espada que Kirito obteve, isso após vencer um chefe no nível 50º andar. Dark Repulser foi construída por uma ferreira após Kirito trazer-lhe um minério raro específico. Ambas possuem praticamente os mesmos níveis de ataque, durabilidade e força. Kirito é o único jogador com a habilidade de usar duas espadas simultaneamente.

(Kirito manejando as duas espadas)

(Elucidator)

(Dark Repulser)



Lindas, não? *-*
Espero que tenham gostado!



11 de nov de 2015

Ativo ou passivo?

É inacreditável que em pleno século XXI a maioria ainda separa os participantes do sexo gay em ativos ou passivos.

Não há mais de uma opção; ou penetra ou é penetrado.

Como se sexo entre homens fosse apenas penetração.
Como se todo homem tivesse vontade de ser penetrado.
Como se todo homem tivesse um pênis para penetrar.

As pessoas ainda estão presas no pensamento extremista de que existe só 'ativo' e 'passivo'; sexo gay se torna sinônimo de sexo anal.

Mas afinal por que ser apenas ativo ou passivo? Também pode ser versátil. Não quer sexo anal? Então seja gouine.

Esse pensamento extremista invisibiliza os versáteis e desconsidera a prática do gouinage. Sexo é uma prática ampla, cheia de possibilidades.

Versáteis ainda são tratados como mitos no meio gay. Muitos acham que versátil é só coisa do momento, e que no fim todo gay tem mais preferência por um papel.

Pasmem agora; sim, existem gays que gostam de ser tanto ativos quanto passivos! Lidem com isso.

"Ah, ok. Agora todo mundo tem que ser versátil? Estamos vivendo a ditadura versátil?"
Não, querido. Ninguém é obrigado a nada. Se você tem preferência por um papel, beleza. Apenas não desrespeite quem gosta dos dois papéis, ok?

"E o que fazer quando dois ativos ou dois passivos querem um relacionamento?"
Ora, eles que resolvam isso! Diálogo faz muito bem. Talvez eles possam concordar em mudar os papéis ou podem optar pelo gouinage.

Recentemente a prática do gouinage esteve em pauta nas discussões gays. Gouinage é sexo sem penetração, e esteve sendo uma ótima opção para aqueles que não desejam fazer sexo anal.

Só para esclarecer, gouinage não é "sexo preliminar", e ainda é uma forma de contato sexual! Temos que tirar da cabeça a ideia de que sexo só é sexo quando há penetração. Isso é falocêntrico, e também desconsidera o sexo lésbico.

Infelizmente a maioria dos animes e mangás do gênero yaoi ainda seguem o pensamento extremista de "ou ativo ou passivo". Ademais, utilizam as ideias estereotipadas de que o ativo é o mais "masculino" e o passivo é o mais "feminino". Oriente, melhore, ok?

O meio gay ainda necessita de desconstrução de ideias extremistas e excludentes a respeito de sexo. Pois somente assim as pessoas poderão explorar mais possibilidades e ter uma vida sexual mais livre e flexível.

Talvez algum dia veremos a pergunta "ativo ou passivo" ser substituída por "ativo, passivo, versátil ou gouine" XD.



7 de nov de 2015

Tipos de reaças nas redes sociais

Existem listas parecidas com essa pela Internet. Mas hoje vou listar justamente os tipos de reaças (apelido carinhoso dos reacionários) que já observei e pude catalogar em minhas viagens virtuais pelas redes sociais (principalmente o Facebook):



1- O acadêmico
Utiliza vocabulários formais, apresenta argumentos aparentemente convincentes, manipula a linguagem a fim de distorcer os fatos, dá porcentagens de pesquisas do além. Adora parecer o culto e defende seu ponto-de-vista por mais contraditório que seja, e mesmo sendo rebatido com argumentos coerentes e baseados em verdades. Alega ler livros como "O Capital".

2- O religioso
Diz ler a Bíblia, mas todo mundo sabe que ele nem leu a metade. Se diz "defensor da família e dos bons costumes", mesmo quando comete transgressão contra as próprias leis que estão no "livro sagrado". Extremamente hipócrita no debate. Geralmente escreve muito errado nos comentários e costuma defender a ditadura, a pena de morte e a intolerância.

3- O privilegiado
Na maioria das vezes é um homem cisgênero, heterossexual, branco, de classe média ou mais. Direitos das mulheres, dxs LGBTs ou da população negra são vitimismo. O mundo dele é perfeito, todas as pessoas são iguais, e piadas com minorias são apenas piadas. Adora defender uma suposta liberdade de expressão que o permite xingar e acredita em meritocracia.

4- O revoltoddynho
Aquele cidadão revoltado com o país (ou o mundo mesmo), alienado por todas as fontes tendenciosas (mídias, revistas, TV), sempre procurando um culpado ou um grupo culpado de toda a desgraça existente. Diz ser contra a corrupção, mas prefere só xingar a presidenta e o partido dela. Praticamente um papagaio ambulante. Adora ligar o caps lock e ainda usa exclamação.

5- Hit-and-run
Xinga, liga o caps lock, xinga mais, fala todos os palavrões e profere todo tipo de ofensa. Depois quando percebe que seu comentário repercutiu mal e até saiu em prints, apaga o comentário. Chega até a desativar o perfil na rede social. Provavelmente é o mesmo que depois cria perfil fake e gasta seu tempo causando em páginas de esquerda.

6- Zuero
Fala coisas ofensivas e absurdas apenas para gerar polêmica, espalhar o caos e disseminar a discórdia. Quer parecer engraçado, mas usa o humor para exteriorizar suas ideias e preconceitos. Quanto mais atenção recebe, pior fica. Não se importa com os danos de suas palavras, vive de repercussão negativa. Normalmente também utiliza perfil fake.



E vocês? Já encontraram algum desses tipos ou todos?



4 de nov de 2015

Decepção virtual

Este ano parece que todo mundo quis me fazer de trouxa.

Tentei me aproximar, tentei me socializar, tentei manter contato, tentei compreender as pessoas... resultado: nada. Puro e simples nada.

Fazer um Twitter esse ano foi uma novidade. Conheci novas pessoas com o passar desses meses.

Interagi com essas pessoas, querendo formar novos vínculos, criar novas amizades. Nada.

Algumas pessoas interagiram comigo, querendo tudo, menos uma amizade de verdade. Novamente, nada.

Por que os caras me bajularam, me elogiaram, me deram atenção? Na minha perspectiva, o que eles queriam de verdade era apenas me pegar, ou apenas me paquerar. Todos perderam o interesse em alguns dias. 

Me senti num aplicativo de novo: homens interagindo comigo apenas com segundas intenções. E quando não conseguem o que querem, me deixam, me descartam rápido.

Esses ainda são os caras que gostei ou até consegui suportar. Ainda teve uns doidos que mandaram/pediram nudes ou chegaram fazendo perguntas íntimas que odeio. Eles faziam eu me sentir um pedaço de carne. Canalhas que parecem animal no cio, sempre procurando uma presa...

No Facebook não foi tão diferente. Todas as pessoas novas que conheci esse ano fazem questão de não falar mais comigo. Até mesmo aquelas que aparentemente simpatizaram comigo, se identificaram comigo, e disseram "conte comigo sempre".

Calma, eu não levo isso ao pé da letra. Sei que a pessoa do outro lado tem a vida dela. Apenas gostaria de saber o motivo de minha mensagem nem ser visualizada, sendo que a pessoa tem atividade constante na rede... Estranho, não?

E, para completar, tem algumas pessoas que adicionei do Twitter. Uma parte nunca falou comigo e já me deixou no vácuo. Outra parte falou por um tempo e agora finge que nem existo.

Deste desabafo melancólico só posso concluir que as pessoas das redes sociais adoram mentir e adoram preencher o mundo virtual com decepções.

Será que ainda há pessoas diferentes?